O mercado

O mercado

Começo por dizer o óbvio: o plantel do Benfica está mais equilibrado hoje do que estava há um ano. Entraram jogadores de qualidade, como Yaremchuk ou João Mário (eu, que fui contra, tenho que dar o braço a torcer, pois tem sido um bom reforço), e não saiu nenhum jogador-chave. Em bom rigor, se olharmos para o plantel para atacar a nova época, há apenas um défice: um lateral esquerdo suplente. Sim, porque Gil Dias não é lateral. Não quero ser fatalista e dizer que nunca dará jogador a lateral, mas o que se tem visto é muito pouco. Gil Dias foi enfiado no plantel porque era um jogador do Mendes, que falhou em milhentos clubes (a maioria ligados ao Mendes), e por isso era preciso arranjar um sítio para o meter. Seja como for, um défice é muito melhor do que temos visto ano após ano.

Contudo, Gil Dias foi um negócio ainda com selo Vieira. Ontem, Bruno Costa Carvalho escreveu e muito bem que a diferença deste mercado para os outros foi a falta de negociatas a envolver Mendes, que se esfumaram após a prisão do anterior presidente, porque o resto, nomeadamente a incapacidade de fazer negócios, essa ficou bem patente. Senão vejamos:

  1. Na baliza, Odysseas chegou ao fim da época passada descredibilizado, relegado para o bacno de suplentes. Era claro para todos que estava à venda. No final, como não se arranjou solução, ficou, e reagarrou a titularidade. É verdade que começou bem a época, a evidenciar-se naquilo que é fantástico (entre os postes), mas e quando Odysseas voltar a vacilar naquilo que não é tão bom?
  2. O Benfica precisava de 1 lateral direito. Contudo, precisava também de se ver livre de 1 ou 2 dos que têm, sendo que garantidamente Gilberto deveria sair. Não saiu, e o Benfica vai atacar a época com 4 (!) laterais direitos (e, refriso, apenas 1 lateral esquerdo).
  3. No centro da defesa, eu diria que felizmente o Benfica falhou, porque a opção Ferro faz sentido como 5ª opção. Contudo, lá está, a tentativa de o colocar foi mais um falhanço.
  4. Com a chegada de João Mário e Meité, houve médios que perderam todo o espaço que tinham. Nesta lista de fracassos não vou sequer incluir Taarabt, que esteve no mercado mas por quem o Benfica alegadamente pedia mundos e fundos que ninguém em pleno juízo alguma vez iria dar. Nem Samaris, que foi resolvido à última hora.
    4.1. Com muita pena minha, um dos que perdeu espaço foi Florentino, que foi colocado à pressa no Getafe (onde suspeito que não vai ser titular e vai estagnar mais um ano, mas enfim).
    4.2. Outro, que já não tinha espaço há muito tempo, era Alfa Semedo. Depois de ter sido comprado por 2.5M um ano depois de ser dado ao Moreirense, para fazer apenas meia época no plantel, sai este ano em definitivo, com prejuízo…
    4.3. Krovinovic, que jogou imenso no WBA e no Nottingham e deveria por isso ter mercado, foi vendido ao desbarato por apenas 1.5M (2M de prejuízo face ao gasto na sua compra)
    4.4. O que dizer de Gabriel? Chegou como um investimento avultado, no ano passado teve estatuto de titular durante ainda um período considerável, e agora (felizmente) não conta. Não houve contudo arte nem sequer para o colocar por empréstimo.
    4.5. Chiquinho. Comprado por 600 mil Euros à Académica, dado dias depois ao Moreirense, e recomprado por mais de 5M. Passados dois anos, o máximo que se consegue fazer é emprestá-lo à pressa no fecho do mercado ao Braga.
  5. Nas alas, saiu Pedrinho, que não vou comentar porque cheira a esturro por todo o lado, saiu Cervi, no tempo certo mas (claro) com prejuízo, Jota foi resolvido também à pressa, e despachou-se Caio Lucas aparentemente por um valor mais baixo do que aquele que se pagou em comissão quando ele foi contratado a “custo 0”. Pensando positivo, ao menos aqui não ficaram casos por resolver.
  6. Nos avançados, foi um festival. Entraram Rodrigo Pinho e Yaremchuk para uma posição onde já havia Seferovic, Vinicius, Gonçalo Ramos, Darwin e Waldschmidt. Ou seja, 7 jogadores para apenas 1 posição (2 em casos especiais, quando JJ abdica dos 5 defesas). A pressão para vender era por isso muita, sendo que era expectável que saíssem pelo menos 3 jogadores.
    6.1. O principal candidato era obviamente Vinicius. Gastou 17M num negócio para ajudar o amigo Mendes, passado um ano e com o jogador valorizado pela excelente época que fez, empresta-se para um clube onde ele nunca iria jogar porque estava tapado por um dos melhores do mundo, e saiu agora… por empréstimo. Se correr bem e os holandeses acionarem a compra, num negócio que toda a gente viu que era um favor a Jorge Mendes para compensar Félix, vai-se perder 5M em prejuízo. Genial.
    6.2. Waldschmidt chegou há um ano por 15M. Eu gostei dele, mas claramente não se adaptou, nem encaixava neste novo sistema de JJ. Saiu… com prejuízo, está claro.
    6.3. Por fim, Seferovic. Valorizado por um bom Euro, era a oportunidade perfeita para o vender. Pediu-se mundos e fundos, ignorando-se o facto de já ter 29 anos, se calhar pediu-se mais por ele do que se pediu por um internacional A alemão 4 anos mais novo, e obviamente ninguém o quis.

Considerando que o negócio Pedrinho cheira a esturro, diria que só um negócio merece um aplauso, que foi Nuno Tavares. Em todos os restantes dossiês, houve falhas, algumas graves. Por um lado, ao menos não assistimos a camiões de areia para os olhos, como todos os anos assistimos com as vendas incríveis que trazem sempre contrapartidas opacas. Por outro, ficou a nu a incompetência que há tantos anos se denuncia. Há que compreender. Afinal de contas, não era fácil Rui Costa limpar as asneiras que anteriores dirigentes como Rui Costa fizeram durante anos.

3 thoughts on “O mercado

  1. vamos ver é se o lazaro não vem para defesa esquerdo, com este treinador tudo é possivel na lateral esquerda.

    a central não concordo porque se jogas com tres centrais precisas de cinco, ferro é mau e pior do que isso não conta para o treinador e começa já nesta fase que nos dois próximos jogos já estas com problemas nos centrais.

    sim temos um avançado a mais, mas não temos pontas de lanças a mais porque pontas de lanças agora só tens dois, o yaremchuk e o seferovic.
    por isso não poderias vender outro seria um erro porque o gonçalo e o darwin não são, neste momento e nem sei se algum o dia o vão ser, pontas de lança como terceira opção servem como alternativa ao titular não servem, e não é por uma questão de qualidade mas de características.
    o avançado que claramente esta a mais é o pinho mas que nem sequer podia ser vendido ou emprestado neste mercado.

    Gostar

  2. Ferro, Araújo podem sempre ser apostas em caso de necessidade, não era necessário gastar dinheiro com defesas.
    Defesa esquerdo sim, mas o Gil Dias como foi o Coentrão que ninguém dava nada por ele pode crescer como lateral a 3 centrais, é necessário dar tempo e oportunidades. Para 8 tem de se preparar o Paulo Bernardo e o Ronaldo Camara, têm tudo para dar certo, se tiverem oportunidade.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s