Análise ao plantel do Benfica

Um plantel que perde apenas um titular, havendo em simultâneo um dos investimentos mais altos da sua história, só pode ficar melhor, certo? Pois, se esse titular não for substituído por ninguém… não. E se alguns jogadores, ditos aguerridos, que fizeram da garra uma arma na época anterior, deixarem essa arma no bolso, então a situação agrava-se. Foi um pouco por aqui que a época foi um desastre de todo o tamanho. Agora, com a época terminada há quase uma semana, urge fazer uma análise ao plantel, que será rematada com a minha opinião pessoal sobre o que deve ser feito. Em jeito de spoiler, defendo uma limpeza geral no plantel, mas já lá vamos.

Costuma-se dizer que o ataque ganha jogos e a defesa ganha campeonatos. No entanto, o quintento defensivo foi, este ano, o maior dos problemas do Benfica. Em parte, a facilidade com que muitas equipas chegavam à baliza do Benfica era mesmo falta de organização coletiva. No entanto, isso não explica tudo, sendo que a falta de qualidade individual e de atitude de alguns jogadores foi mesmo o fator chave.

Na baliza, Odysseas foi dos poucos jogadores do Benfica em evidência nesta época. Foram tantas as vezes que salvou o Benfica que lhes perdemos a conta. Juntando a isto, foi dos poucos em que houve uma evolução clara das suas características, principalmente ao nível das saídas da baliza. Não nos deslumbremos, Odysseas continua a não ser um GR tão forte quanto eram alguns que pelo Benfica passaram num passado recente. No entanto, é justo reconhecer: Odysseas tornou-se um GR com qualidade suficiente para defender as nossas redes.
O número três na hierarquia, Svilar, teve finalmente o tratamento que sempre deveria ter tido. O belga é talentoso, tem algumas características inatas que normalmente os grandes guarda-redes têm, mas falta-lhe estaleca, e essa só se ganha… jogando. Fez uma época muito boa na equipa B, evoluiu imenso, e está na altura do próximo passo. Comer banco na equipa principal não pode ser uma opção. Espero assim que se encontre colocação para ele numa equipa da Primeira Liga que lhe permita jogar todas as semanas. A baliza da B deveria ficar para Kokubo.
No sentido oposto, o número dois da baliza, Zlobin, mostrou claramente que não tem qualidade suficiente para pertencer ao Benfica. Teve poucas oportunidades, é certo, mas nelas, foi um fiasco, sendo por isso que sou a favor da sua venda. Tratamento semelhante deveria ser dado a Bruno Varela e Igor Rodrigues, emprestados este ano, pois nenhum deles tem qualidade para o Benfica.
Saindo todos estes jogadores, abre-se assim espaço para uma entrada no Benfica, que ao que tudo indica vai ser Helton Leite. A meu ver, trata-se de um bom reforço, e bastante útil. Tem qualidade, tem experiência, e vai permitir descansar Odysseas com mais regularidade. Assim, ver Odysseas a jogar lesionado como aconteceu este ano deixará de ser uma opção.

A lateral direita foi um dos grandes problemas deste ano. Mas também, não era para menos, depois da gestão patética da posição que foi feita no verão, de tal forma que começámos a época com Nuno Tavares como titular. Um dos rostos dos problemas é André Almeida. Há um ano, escrevia que André Almeida era um jogador útil para qualquer equipa, porque compensava as suas lacunas com um espírito competetivo irrepreensível. O problema foi que o André Almeida do ano passado não existiu este ano. Que ele tem lacunas técnicas graves, todos sabíamos. Junte-se a isso uma atitude competitiva deplorável, e temos um jogador que não merece envergar o Manto Sagrado, e muito menos a braçadeira de capitão. Não perdoando eu o facto de André Almeida claramente ter sido um dos protagonistas do boicote a Bruno Lage, com repercussões claríssimas no sucesso do Benfica, o 34, na minha opinião, merece levar guia de marcha.
Existem depois 2 jovens nos quadros do Benfica. Tomás Tavares é o espelho do desastre da estratégia de LFV. Claramente impreparado, foi lançado aos lobos este ano e desiludiu. No entanto, é um miúdo com talento, que deveria ser emprestado para ganhar calo. O lugar da equipa B, a meu ver, deveria ficar com o atual dono, João Ferreira. Tem talento, mas ainda não está pronto para dar o salto para a Primeira Liga, e beneficiaria de mais um ano na B.
Emprestados, este ano, estiveram dois jovens que, embora tenham alguma qualidade, não me parece que algum dia venham a ser jogadores para o Benfica. Falo de Alex Pinto e Pedro Pereira, que, a meu ver, deveriam ser vendidos. Tratamento semelhante deveria ser dado a Ebuehi.

Na lateral esquerda, tenho sentimentos contraditórios relativamente ao titular Grimaldo. Em forma, trata-se de um dos melhores laterais que já tivemos, até porque ofensivamente é muito bom. Quando ele não quer nada com isto, é um fraquíssimo, porque as suas falhas defensivas gritantes ficam expostas. Com a proposta certa, o Benfica poderia deixá-lo sair. Sem a mesma, acho que deveria ficar, pois poderá ser um dos que mais beneficiará com JJ.
No que toca às alternativas a Grimaldo, neste momento, não existem. Nuno Tavares até começou bem a época, mas rapidamente deu para perceber que está verde. Honestamente, eu não desistia já dele. No entanto, o miúdo tem que rodar obrigatoriamente, pois não tem ainda qualidade para estar na primeira equipa. Já o titular da B, Frimpong, necessita com urgência de dar um passo em frente. Tal como Tavares, um empréstimo far-lhe-ia bem, se bem que uma venda não seria de descartar.

O centro da defesa precisa de uma revolução. Espero é que a mesma não comece num dos poucos jogadores que merece nota positiva esta época, que é também o único que tem qualidade para ser titular no Benfica. Falo obviamente de Rúben Dias. Todos os restantes são insuficientes, pelo que a limpeza deveria começar por aqui. Ferro foi titular durante grande parte da época, e foi um desastre. Um adepto que não o tenha visto jogar no ano passado, que se baseie apenas nesta época, diria facilmente que é o pior central que passou pelo Benfica neste século. Assim, sou apologista que Ferro deve ser remetido, no máximo, ao posto de 3º central, pois não tem ainda qualidade para ser titular.
Já o capitão Jardel é um caso sensível. Por um lado, temos que lhe ser gratos, mas por outro, ele já não acrescenta nada. Assim, caso ele tenha colocação, deveríamos deixá-lo sair. Caso contrário, Jardel deveria ficar, mas apenas como 5º central. Morato, por outro lado, está verdíssimo, pelo que esta época tem é de continuar a crescer na B, ao lado de Pedro Álvaro, que também ainda não parece pronto. De resto, o Benfica deveria tentar fazer dinheiro com Lema, ao invés de o reintegrar como Vieira deu a entender na última entrevista que deu. Uma última nota ainda para Kalaica. Sempre gostei muito do central croata, e acho incompreensível como é que, com tantos problemas no centro da defesa este ano, ele não teve sequer uma oportunidade. Parece-me que está de saída, mas tenho pena.

No meio campo, é onde temos mais qualidade. No entanto, é também onde temos maior excesso de jogadores, pelo que aqui deveríamos limpar algumas gorduras. Adicionalmente, sou ainda da opinião que alguns “consagrados” deveriam sair.

Adel Taarabt foi, para mim, o melhor jogador do Benfica este ano. Com ele em campo, o Benfica conseguia produzir, sem ele, era um marasmo de ideias que terminava invariavelmente em bombo para a área. Com a idade que ele tem, o que ele renderia aos cofres do Benfica numa hipotética saída não compensa aquilo que ganhamos com ele no plantel, por isso, defendo a sua permanência. Outro craque é Weigl que, apesar das críticas de muitos, foi tão somente o melhor jogador no pós-Covid. Não sendo o tipo de 6 que normalmente JJ gosta, acho que tem tudo para ser uma das estrelas no próximo ano.
Por razões diferentes, manteria no plantel ainda Florentino e Samaris. Florentino é só um dos trincos com mais potencial no mundo. Mais ainda, é o tipo de 6 que JJ adora. JJ potenciou Javi Garcia, e depois potenciou Fejsa. Ora, Florentino tem uma técnica defensiva incrível, pelo que, com um bom professor, pode explodir e tornar-se numa estrela mundial. Espero que não se cometa o erro de o deixar sair. Samaris, a meu ver, deveria ficar numa ótica de fazer balneário. Não é um craque, mas é um jogador com alguma qualidade que, com JJ, atingiu um nível alto (no seu primeiro ano no Benfica).
Em sentido inverso, sou a favor da venda de Gabriel, por duas razões. 1) Não é, de longe, o tipo de 8 que JJ gosta, pois é um jogador mais pastelão que procura transportar a bola através de passes longos ao invés de correr. Ora, JJ não gosta de bombo nem de jogo baseado no contra-golpe, pelo que Gabriel não cabe. 2) É um jogador super displicente. Quando Gabriel faz um passe fantástico, todos ficamos deslumbrados, só que para esse passe acontecer, 20 terão sido falhados. Um clube como o Benfica não se pode dar ao luxo de ter um jogador que perde a bola dezenas de vezes só em passes falhados. Simplesmente não dá. Em suma, acho Gabriel bom jogador, mas nem ele se enquadra naquilo que o Benfica vai ser, nem ele merece o benefício da dúvida porque, neste ano que passou, foi um dos principais rostos do falhanço do Benfica. Está relativamente valorizado, por isso devíamos aproveitar para fazer algum dinheiro com ele.
Sobre os emprestados, que são 4, defendo quatro abordagens diferentes. Sobre Fejsa, defendo exatamente o mesmo que defendi acima para Jardel. Sobre Krovinovic, acho sinceramente que é um jogador que JJ iria gostar, pois vejo algumas parecenças entre ele e Ramires, ou entre ele e João Mário. Assim, se não tivermos uma boa proposta pelo croata (se bem que o WBA pareceu interessado em ficar com ele), ele deveria ficar no plantel. Por outro lado, acho que Alfa Semedo deve ser vendido à melhor proposta, pois não tem qualidade para fazer parte do Benfica. Sobre Nuno Santos, vejo-lhe muito potencial, mas precisa de mais um ano na Primeira Liga para crescer.
Há depois dois casos de jogadores já com demasiada idade para continuarem a ocupar os lugares da equipa B, nomeadamente, são Chrien e Diogo Mendes. Mesmo reconhecendo alguma qualidade ao eslovaco, acho que ambos deveriam ser vendidos.
Por fim, existem uma série de miúdos, uns com mais talento que outros, que precisam de ser geridos. David Tavares, honestamente, acho que nunca terá qualidade para o Benfica. No entanto, para tirar todas as dúvidas, um empréstimo far-lhe-ia bem. Vukotic tem características interessantes, mas também não está ainda pronto para o Benfica A, por isso, deveria ser também emprestado. O trio titular da equipa B, no próximo ano, na minha opinião, deveria ser constituído por três miúdos bastante talentosos, nomeadamente Tiago Dantas, Paulo Bernardo e Rafael Brito, suportados claro, por Ronaldo Camará. Destes, Paulo Bernardo e Brito ainda estão verdinhos para se aventurarem na Primeira Liga, pelo que um tempo na equipa B far-lhe-á bem. Já Tiago Dantas é um craque geracional, pelo que não creio que ele precise de ser emprestado para ter estaleca para a equipa A. Ao invés, creio que ele deve ser gerido com muitos minutos nas pernas na equipa B, enquanto espreita um lugar na A.
No que toca a reforços, acho sinceramente que deveríamos procurar um 8, pois nenhum dos jogadores do plantel atual tem as características que JJ gosta de ver. Alternativamente, JJ pode-se adaptar e criar um meio campo diferente do que é habitual nele, mas, conhecendo o treinador como conhecemos, o mais certo é ele fazer uma adaptação maluca, pelo que se calhar é preferível procurar um reforço.

Na posição de extremo, há alguma qualidade. No entanto, faz falta um craque como eram Gaitan, Di Maria ou Salvio nos tempos áureos. Rafa, quando quer jogar à bola, é esse craque, mas mesmo assim é pouco. Ao mesmo tempo, há alguns jogadores que estão a mais e deveriam sair.

Começando por ser polémico, sou apologista que Pizzi deveria ser riscado. O transmontano tem qualidade? Tem. É um craque superlativo como foram Félix, Jonas ou outros que tiveram papel de estrela no Benfica? Não. Deveria assim ter o estatuto de estrela que tem? Não. Há alguma maneira de lhe tirar esse estatuto sem que haja problemas no balneário? Não me parece. Assim, porque o Benfica é mais importante que tudo, acho que se deveria abdicar de Pizzi. Opinião diferente tenho de Rafa. Acho que Rafa é um craque e que, libertado as “más companhias” Almeida e Pizzi, pode tornar-se num jogador ainda mais determinante.
Sobre os restantes extremos do plantel, Cervi é o que mais merece continuar. Não é, de todo, um craque superlativo, mas compensa com garra e determinação. Além disso, quem sabe se JJ não o transforma num lateral válido? Características para isso ele tem. Seja como for, é um jogador útil. Jota também merece mais uma oportunidade, pois esta época foi completamente queimado por uma gestão amadora. Só para se ter uma noção, desde meados de Janeiro, Jota fez 12, e em nenhum (!) fez mais que 16 min. Pior, e 6 (!) ocasiões entrou depois dos 88′. Como é que é suposto alguém mostrar-se com esta gestão? Jota é um miúdo talentoso, saibamo-lo gerir. Já Zivkovic, infelizmente, creio que vai manter-se no plantel, com um salário astronómico. Obviamente, se for possível, é um jogador a vender à melhor proposta.
Emprestados, este ano, estiveram Willock e Diogo Gonçalves. Willock, incompreensivelmente, não foi aposta este ano na equipa principal, quando bem que merecia. No Huddersfield, fez uma relativamente boa temporada. Diogo Gonçalves fez uma excelente temporada que em Famalicão. No entanto, não tem qualidade suficiente para jogar no Benfica. Assim, a meu ver, o Benfica deveria tentar fazer algum dinheiro com estes dois jogadores aproveitando a sua valorizçaão, não me chocando que eles fizessem parte do plantel.
No que toca a reforços, Pedrinho está confirmado. Não o conheço bem, não sei ao certo se será uma mais valia, mas, custando ele 20M, é porque fará parte do plantel. No entanto, com as saídas que defendo, fica ainda a faltar outro jogador. Everton Cebolinha confirmou ontem que está em negociações avançadas, e sem dúvida que seria um reforço bombástico, mas, como sempre, craques destes, só acredito quando os cá vir.

No ataque, antes de se abordar o mercado, deve-se tentar saber o que JJ pretende fazer do Benfica. Se JJ quiser jogar com um segundo avançado e um ponta de lança mais puro, o Benfica tem de tentar arranjar esse segundo avançado. Caso queira outro tipo de jogador, o Benfica tem de arranjar esse jogador. Seja como for, mudanças terão que ser feitas, e obrigatoriamente têm de vir reforços.

Na posição de segundo avançado, acho que Chiquinho merece mais uma chance. Ao contrário de muitos, acho que o português até fez uma época aceitável, e acho ainda que tem características interessantes para ser moldado por JJ. Obviamente, isto sempre como suplente, pois ele não tem qualidade para ser primeira opção no Benfica. Para estar na sombra, na equipa B, temos o menino Gonçalo Ramos, que é muito talentoso.
Se JJ quiser usar um segundo avançado, teremos que ir ao mercado. O nome mais falado tem sido Luca Waldschmidt, que é um excelente jogador, mas este já é falado desde o ano passado e até agora nada…

Por outro lado, a posição de ponta de lança deveria levar uma razia completa.
Do plantel que acabou esta época, Vinicius é o único com qualidade suficiente para o Benfica. No entanto, vou mais uma vez ser polémico, pois acho que devemos almejar a melhor. O homem está super valorizado, por isso, com uma boa proposta, não acho que o Benfica o deveria segurar. Sem essa boa proposta, obviamente, defendo a sua continuidade, até porque além de ser bom jogador, Vinicius tem uma coisa que eu adoro e que acho que faz muita falta neste Benfica de princesas: tem atitude competitiva, tem garra.
Seferovic, Dyego Sousa, Cádiz e Zé Gomes simplesmente não têm qualidade para vestir a camisola do Benfica, pelo que deveriam ser vendidos à melhor proposta (ou dispensados, no caso de Dyego).
Por fim, sobra Ferreyra. O Ferreyra do Shakhtar era bom jogador. O Ferreyra do Benfica não se adaptou e teve guia de marcha após apenas 6 meses. O Ferreyra do Espanyol foi de luas, tanto teve boas fases como teve más fases. Honestamente, com o Benfica em cacos como está agora, acho que seria pouco benéfico integrar Ferreyra, dado que ele nunca poderia primeira opção e, ao mesmo tempo, um jogador de 29 anos a precisar de se revitalizar, não é como suplente que o fará. Por outro lado, no passado, JJ já elogiou Ferreyra. Aceitarei, por isso, qualquer que seja a decisão do Benfica.

Sintetizando este longo texto, eis aquilo que defendo para a próxima época.

GR: Odysseas + Helton Leite + Kokubo (B)
DD: REFORÇO + REFORÇO + João Ferreira (B)
DE: Grimaldo/REFORÇO + REFORÇO
DC: Rúben + REFORÇO + REFORÇO + Ferro (+ Jardel?) + Morato (B) + Pedro Álvaro (B)
Med: REFORÇO + Weigl + Taarabt + Florentino + Samaris (+ Fejsa?) + Dantas (A/B) + Paulo Bernardo (B) + Rafael Brito (B)
Ext: REFORÇO + Rafa + Pedrinho + Cervi + Jota + Úmaro (B) + Araújo (B)
SA: REFORÇO + Chiquinho + Gonçalo Ramos (B)
PL: REFORÇO + Vinicius/REFORÇO + REFORÇO (B)

EMPRESTAR: Svilar, Tomás Tavares, Nuno Tavares, Nuno Santos, David Tavares, Vukotic
VENDER: Zlobin, Varela, Igor Rodrigues, André Almeida, Alex Pinto, Pedro Pereira, Ebuehi, Frimpong, Jardel (?), Lema, Kalaica, Gabriel, Alfa Semedo, Krovinovic, Fejsa (?), Chrien, Diogo Mendes, Pizzi, Zivkovic, Diogo Gonçalves, Willock, Seferovic, Cádiz, Dyego Sousa, Zé Gomes, Ferreyra

lineup

4 thoughts on “Análise ao plantel do Benfica

  1. helton leite nem tem qualidade, como se viu não aguenta a pressão, nem experiência para o nosso clube.
    a ficar o helton como segundo guarda redes, o svilar tem de ficar na b.

    sobre o andre almeida por vezes o pessoal esquece que ele não fez pre epoca esteve tres vezes lesionado nesta época e mesmo assim consegue ter melhores números, assistências e golos, que o maravilha grimaldo.

    independentemente das minhas opiniões considerando quem é o próximo treinador digo que:
    o jardel tem mais hipóteses de ficar que o ferro.
    o andre não deve sair a não ser que tenha uma proposta alta o que duvido.
    o dantas não será mas mesmo nunca opção, nem para defesa esquerdo.
    o jota vai ser emprestado.
    o chiquinho até pode ser opção mas nunca para segundo avançado.

    e jogadores da formação esquece que o homem já disse que agora a filosofia é outra.

    Gostar

    1. Eu não esqueço o que fez o André Almeida, e no início da época até me fartei de o defender pois ele estava fora de forma muito por ter forçado no ano passado. Agora, não dá para perdoar quem não se esforça. Veja o 4º golo do Santa Clara, ou o primeiro do Marítimo, e veja a passividade do Almeida, é de quem não quer saber. Os números não são tudo, porque se fossem, o Pizzi era um rei que não é.

      Gostar

      1. A culpa nao e so da defesa. Vi o jogo da final e a pressao alta raramente funcionava e ficava normalmente o quarteto defensivo para 6 adversarios. Raramente um dos medios e atacantes vinha ajudar a defesa.

        Gostar

      2. não estou a dizer que ele não tenha cometido erros, que neste caso ambos nem foram culpa dele, agora se ele não teve capacidade para os reparar ou não quis isso já não sei.
        mas lance iguais ou piores do grimaldo existem aos montes, basta ir ver o segundo golo dos corruptos na luz por exemplo mas para esses parece que ninguém repara.

        e eu falei dos numero do andre não como facto absoluto mas como termo de comparação com o grimaldo, é que defender bem é coisa que sabemos que o grimaldo não faz, por isso só lhe resta os aspectos ofensivos e nisso até o andre, que todos sabemos que não é nem nunca foi um virtuoso, é muito melhor.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s