O fim da Eusébio Cup?

Comecemos pelo enquadramento histórico. Em 2008, nas cabecinhas pensadoras da direção do Benfica, fez-se luz (esta uma das boas), e criou-se um torneio de pré-época que, embora seja um jogo amigável, desde o dia um se tornou um jogo com uma mística enorme. Não era para menos, era a grande homenagem à maior lenda de sempre do Benfica, ainda para mais com ele vivo na altura. Ano após ano, Eusébio Cup acabou por servir, e muito bem, como apresentação aos sócios no Estádio da Luz, sendo também um momento de grande mística para aqueles que sentem o clube verdadeiramente.

Mas, como outras coisas boas que se fizeram nesta sucessão de mandatos de Luís Filipe Vieira, eis que chegou a altura de fazer borrada em nome dos cifrões. Tal aconteceu em 2015, na famosa pré-época planeada às três pancadas, com digressões sem planeamento à América do Norte. Obviamente, com uma Supertaça para disputar, não havia oportunidade de fazer um jogo de apresentação aos sócios com tão caótica pré-época. Então, inventou-se um jogo no México, frente ao Monterrey, clube por onde Eusébio passou na fase final da sua carreira, que pudesse funcionar como Eusébio Cup. Quase como um desenrasque. Sim, porque o Monterrey não podia atravessar o Atlântico e vir jogar ao Estádio da Luz.

Em 2016, de alguma forma, limpou-se a borrada, com mais um jogo cheio de simbolismo, frente ao Torino. Esperava-se então que se tivesse aprendido com os erros e daí em diante tudo voltasse ao normal. Um ano volvido, vinha a aparente confirmação disso, com o adversário a ser a Chapecoense. Infelizmente, a Chapecoense cancelou o amigável em meados de Junho. São coisas que acontecem, direi eu, mas não é grave. A Eusébio Cup seria a 22 de Julho, portanto, o Benfica poderia ter arranjado outro clube facilmente, mas optou, incompreensivelmente, por não o fazer. Optou sim por remarcar para Outubro, numa pausa de selecções, no Canadá. Porquê no Canadá? Poder-se-ia pensar que seria pela comunidade portuguesa e Benfiquista lá residente, mas a nota sobre o cancelamento desta edição da competição deixou antever que tudo se deveu a dinheiro, algo confirmado após os esclarecimentos feitos pela empresa promotora do jogo, a Elite Soccer Entertainment.

Errar uma vez, aceita-se, errar duas vezes em três anos, já é esticar a corda. Mas, infelizmente, não há duas sem três, e eis que, no ano passado, o adversário foi o Lyon… no Algarve. E nem sequer transmissão na Benfica TV teve. O jogo que mais simbolismo devia ter foi tratado como qualquer outro amigável de pré-época. Se eu consigo compreender que o jogo seja incluído na International Champions Cup, face ao pouco tempo que havia pois a pré-eliminatória da Liga dos Campeões estava à porta, não consigo é compreender que o jogo se realize no Algarve. Não havia forma de ser na Luz? Lisboa ficava fora de rota?

Eis que chegamos ao ano corrente. Com tantos erros cometidos em quatro anos e num período de aparente estabilidade do Benfica, esperava-se que, este ano, se assistisse a uma homenagem a Eusébio digna como deve ser. Ingenuidade. A solução que quem manda no Benfica arranjou para resolver os problemas foi… acabar com a homenagem.

Meus senhores que mandais no Benfica, A Eusébio Cup é uma invenção vossa, certo, mas agora já é mais do que isso. É o momento em que, anualmente, recordamos o King. É o momento em que, após uma pausa de Benfica, a Luz se veste de encarnado para reaver os seus ídolos e para homenagear o maior deles. É, enfim, o momento que marca o início de mais uma temporada de Benfiquismo. Eu sei que para vós pode parecer complicado compreender, mas o Benfiquismo vale muito, vale muito mais que os milhões que qualquer promotor possa pagar. Parem de brincar com os Benfiquistas. Há momentos que deviam ser solenes, e a Eusébio Cup, mesmo que seja relativamente recente, tem OBRIGATORIAMENTE que ser um desses momentos. Acabar com a competição é gozar com os Benfiquistas. A Eusébio Cup é uma homenagem a Eusébio, não me canso de o dizer. Portanto, de quem é que tem de ser a organização? Obviamente tem de ser feita pelo Benfica. E se for preciso, sem cachet nem qualquer contrapartida. E se o adversário tiver que ser a equipa B, que seja! O que interessa é o simbolismo, não é o dinheiro.

Para já, este ano, fica a sensação que o clube se está a marimbar para os sentimentos dos adeptos, pois, sem qualquer razão aparente, decidiu acabar com uma das mais bonitas demonstrações de Benfiquismo. Quanto a mim, enquanto apaixonado pelo Benfica, começa-me a faltar a paciência para esta banalização da memória do Eusébio.

Anúncios

6 thoughts on “O fim da Eusébio Cup?

  1. ao que parece vendemos a organização da eusebio cup a uma empresa para garantir receita.

    mas se o jogo no mexico já tinha caído mal então o do ano passado de fazer coincidir a eusebio cup com internacional championsship foi a gota de agua e parece que a questão esta em tribunal e por isso não se vai realizar.
    nós porque não temos os direitos e a empresa que não quer até a questão ser decidida pelo tribunal.

    Gostar

Deixe uma Resposta para O Benfiquista Crítico Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s