Estádio e BTV, poder aos sócios?

Foi ontem notícia que o Benfica está a planear passar o estádio e a BTV para o clube, numa operação que custará ao clube cerca de 100 milhões de Euros pagos em 25 anos. Por outras palavras, o clube irá pagar à SAD cerca de 4 milhões de Euros por ano até 2044. O que é que isto significa? Não sabemos ainda, mas podemos especular.

Comecemos pelo contexto histórico. Corria o ano de 2009 (se não me falha a memória) quando a SAD do Benfica entrava numa situação de falência técnica. Nessa altura, o estádio passou do clube para a SAD, com o objetivo único de aumentar os activos da mesma. Por outras palavras, a SAD ganhou um activo muito importante para de alguma forma ganhar valor, algo bastante importante, por exemplo, para atrair investidores. Felizmente, essa situação hoje está controlada, o que permite fazer esta operação financeira.

Confesso que a filosofia agrada-me. O propósito da SAD é gerir o futebol profissional. Aliás, no comunicado que o Benfica fez para a imprensa, tal é mencionado. Ipso modo, tudo o resto e em particular a gestão do património têm que ser função do clube. A filosofia agrada-me ainda mais porque, em termos teóricos, o património passa a ser dos sócios, pois o clube são os sócios.

Fora as questões da filosofia, interessa também saber o que podemos esperar desta medida em termos financeiros. Em termos práticos, significa que a SAD dá 100 milhões de Euros em activo e 100 milhões em passivo (dívidas) para o clube. Mais ainda, o clube ganha também algumas fontes de receita, bem como alguns custos. Importa também responder a uma questão frequente colocada pelos Benfiquistas: sim, o clube tem fontes de receita suficientes para pagar (no pior dos casos) 4 milhões de euros por ano, dado que tem tido resultados positivos nessa ordem nos últimos anos. Mas e a SAD? Em termos práticos perderá alguma receita anualmente, embora relativamente residual. Porém, também perde valor para possíveis investidores, ou estou equivocado?

Outra coisa que me deixa intrigado é o possível efeito disto para as modalidades e/ou para os sócios. Sendo certo que o clube irá ganhar fontes de receita, há uma grande possibilidade de ganhar margem para algum investimento nas modalidades do clube. Alternativamente, essa margem pode ser usada para baixar quotas, algo que aliás já foi prometido por Vieira. Seja como for, ambas as hipóteses são agradáveis, embora sejam apenas especulação.

Como é possível observar, há ainda algumas questões que é preciso esclarecer aos sócios. Para tal, o clube marcou uma Assembleia Geral Extraordinária para o próximo dia 15 de Março. Sabendo que me irei repetir nalguns destes pontos, nessa AG, eis então algumas questões que gostava de ver respondidas:
1. Sendo o estádio do clube, significa isso que os patrocínios de bancada, receitas de bilheteira e outras fontes de receita associadas ao estádio passaram a ser receitas do clube? À primeira vista, eu diria que sim, mas a questão tem que ser esclarecida por Domingos Soares de Oliveira.
2. Dado que a equipa de futebol vai usufruir do estádio, vai haver fixação de um valor para aluguer do mesmo, podendo amortizar os 4 milhões supramencionados? Se sim, quanto será esse valor?
3. No que toca À BTV, o que podemos esperar? Esta passagem para o clube traz certamente associados os custos de manutenção e produção do canal bem como alguns patrocínios. Porém, os direitos da BTV foram negociados em simultâneo com os direitos televisivos da equipa de futebol. A minha questão é: dos 400 milhões de Euros que negociámos, vai haver alguma percentagem a ser direccionada para o clube? É que caso não, a meu ver, a passagem da BTV para o clube não faz sentido…
4. Haverá algum efeito prático para as modalidades ou para os sócios?
5. Esta questão já não é tão fulcral ser respondida, dado que pode haver contornos que não devem ser tornados públicos, mas… Esta operação tem alguma coisa a ver com a jogada do naming do estádio?

Mesmo não conhecendo a fundo todos os detalhes desta operação, parece-me uma boa medida por parte da direção de Luís Filipe Vieira, pois, no fundo, dá mais pode aos sócios, retirando-o aos accionistas da SAD. Esclarecidos os pontos acima, e não havendo nenhuma surpresa de última hora, espero que os sócios votem a favor desta operação, porque me parece benéfica para o Benfica.

PS: Não tenho qualquer formação em economia ou em gestão, pelo que posso ter cometido algum erro de análise. Se for o caso, por favor, corrijam-me!

Anúncios

7 thoughts on “Estádio e BTV, poder aos sócios?

  1. Quererá isto dizer que se está a preparar a SAD para a perda da maioria de capital? O clube fica protegido e depois quem pegar na SAD pode gerir mas a maioria dos activos, excepto equipa profissional, estão no clube.

    Gostar

  2. Mas então, para reaver o estádio o clube vai pagar 100 milhões à SAD. E quando em 2009 o estádio que pertencia ao clube, passou para a SAD, esta pagou quanto ao clube?

    Gostar

  3. Tenho a mesma opinião e o único ponto que me causa urticária é a BTV, mas está relacionado com o contrato que lesa o Benfica e não foi renegociado. Temos custos, mas o valor das subscrições vai para a NOS, que depois no paga um valor ridículo, fica lhes quase de borla.
    Abraço

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s