A loja de Matosinhos

Um dos assuntos da semana Benfiquista foi a inauguração da loja do Benfica no shopping de Matosinhos, sendo esse o assunto sobre o qual escrevo hoje.

Em primeiro lugar, foi uma agradável surpresa. Desconheço se existem outras lojas semelhantes no norte do país (creio que existe uma no Porto), mas foi muito encorajador ver esta movimentação por parte do Benfica. E porquê? A razão é simples. Apesar de sediado em Lisboa, o Benfica é o único clube que consegue arrastar multidões de norte a sul do país. Não é por acaso que os clubes, de norte a sul do país, quando recebem o Benfica, vendem bilhetes a preços ridículos e mesmo assim enchem o estádio, o que faz do clube um verdadeiro fenómeno no país. Assim sendo, uma loja destas fazia falta no norte do país, porque embora já existam as casas do Benfica como locais de Benfiquismo nas várias zonas do país, uma loja tem outro impacto, aproximando imenso o clube dos adeptos no norte do país. Não me interpretem mal, as casas do Benfica têm um papel enorme na propagação do sentimento Benfiquista, um papel que tem de ser muito valorizado, mas têm um carácter essencialmente local. Uma loja deste género é um pouco diferente, porque é a marca Benfica em estado puro que ali está.

O sucesso foi evidente, dado que imensas pessoas já por lá passaram nos poucos dias após a inauguração. Mas, mais do que isso, a imagem do clube fica a ganhar, nos turistas e nas crianças. Aliás, não sei se foi propositado ou coincidência, mas é engraçado mas de louvar que, nas proximidades da loja, esteja uma loja de criança. E se alguém duvida do impacto que teve a nossa loja, a pseudoinvasão de alguns membros da claque do FC Porto o prova.

Isso remete-me para um segundo ponto. Por norma, não gosto de falar sobre os rivais, e vou tentar falar o mínimo nesta crónica. Começo por dizer que o que os SD fizeram foi demonstrativo do complexo de inferioridade que os aflige. A verdade é que o crescimento do Porto teve sempre associada uma componente de ódio constante ao Benfica e uma componente igualmente importante de bairrismo, transformando esta rivalidade numa rivalidade inter-regiões, Norte vs Sul. Esta loja e a afluência que teve por parte dos Benfiquistas foi um ataque no orgulho dos adeptos do nosso rival, que vêem aqui uma prova de que o bairrismo que tanto apregoam, na realidade, nunca foi acolhido tão religiosamente quanto seria pretendido.

Mas a reação àquela pseudoinvasão deixou-me ainda mais feliz, porque vi muito pouco medo na cara dos nossos, o que só ridicularizou esta atitude dos SD. Aquando desta pseudoinvasão, muitos eram os visitantes da loja, que parecem pouco incomodados com a presença dos SD, até porque estavam num shopping com bastante vigilância e proteção. Ou seja, esta loja representa quase um santuário de Benfiquismo, onde os Benfiquistas podem entrar e sentir-se completamente protegidos num território relativamente hostil (embora, segundo sei, na zona de Matosinhos tal não seja tão notório), porque muitos são os Benfiquistas no norte do país que se sentem reprimidos de demonstrar o seu gosto clubístico por questões extra-desportivas. Ali, os Benfiquistas têm um sítio onde podem mostrar, sem medo, que são Benfiquistas com muito orgulho. E isto torna ainda mais ridícula a atitude dos SD, porque foram com o intuito de dar nas vistas, de demonstrar a sua valentia nesta guerra clubística, e vai-se a ver, o impacto é nulo. Além disso, o potencial desta pseudoinvação, para questões de marketing é enorme! Para o departamento de marketing, passem pelo SerBenfiquista, o que não falta lá são ideias engraçadas para serem exploradas.

Face a este sucesso, o próximo passo é reproduzi-lo noutros locais. Shoppings são locais bons para tal, pelas condições de segurança que oferecem, pelo menos em teoria. Nenhum local pode ser esquecido ou preterido. O Benfiquista que viva no norte do país, particularmente na região do Porto, desde há muitos anos que tem que suportar um clima de medo constante, numa região em que ser Benfiquista é quase crime que lesa a pátria. Não têm de ser lojas necessariamente muito lucrativas, basta que não dêem prejuízo e têm o seu propósito cumprido, pois são postos de trabalho que se criam e a marca ganha visibilidade.

Sumarizando este longo texto, é muito bom ver que há vontade de perpectuar o Benfiquismo no norte, combatendo os ódios com a nossa grandeza. Portanto, é continuar a trabalhar para que nos mantenhamos este gigante cheio de classe que é o Benfica, fazendo crescer cada vez mais a marca Benfica.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s